Temporariamente Fechado!

Este blog está temporariamente fechado.

Mas calma, não é definitivo!

Devido a falta de tempo, o blog MotoViajantes vai dar uma pausa em suas atividades. Caso alguém tenha interesse em dar continuidade a esse trabalho, favor entrar em contato pelo email dieles@gmail.com.

Estamos verificando o registro do domínio www.motoviajantes.com.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Novas revelações acerca das novas Ténéré 250/660/1200: Motor bicombustível e tecnologia de foguetes

O Blog MotoViajantes traz mais informações vindas diretamente da fábrica da Yamaha em Manaus - AM:
  • O lançamento ocorrerá no mês de outubro
  • O motor da Ténéré 250 não será exatamente o mesmo que o da XTZ Lander 250. Ele será BICOMBUSTÍVEL, com tecnologia chamada de "ECOPOWER"
  • Será usado no motor cerâmica da mesma usada pela NASA em foguetes
  • Terá farol duplo
  • A XTZ Lander 250 não será descontinuada. Continuará a ser fabricada e vendida
  • Informação extra: a Fazer será relançada também com tecnologia bicombustível.
Aguardem pelo lançamento no fim do mês que vem e confiram. A Ténéré 250 não será como as pessoas estão imaginando, segundo nossas fontes.


domingo, 22 de agosto de 2010

Yamaha Ténéré 250: confirmada!

Com informações vindas diretamente de um funcionário da fábrica da Yamaha em Manaus, o motoviajantes.blogspot.com tem o prazer de anunciar com CERTEZA ABSOLUTA que será lançada em setembro ou outubro a Ténéré em uma versão de 250 cilindradas.

O referido funcionário acrescentou as motocicletas estão sendo já fotogradas para divulgação, e que em sua opinião a de cor preta é a mais bonita.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

BMW e Harley Davidson decidem vender modelos a preços mais acessíveis

Marcas querem conquistar o consumidor com produtos "de entrada", vendidos por até R$ 30 mil


A BMW e a Harley Davidson, duas das principais fabricantes de motos de luxo no mundo, usaram a mesma estratégia para ganhar espaço no mercado brasileiro: conquistar o consumidor que é fã de suas marcas com produtos "de entrada", vendidos por até R$ 30 mil para o consumidor local.
No caso da Harley Davidson, a moto 883, para uso urbano, é vendida no varejo por R$ 25,9 mil. Já a G650GS, da BMW, é um modelo tanto para a cidade quanto para off road, que custa R$ 28 mil. Para Carlos Byron Rodrigues, diretor de marketing do Grupo Izzo, que representa a Harley no País, o preço atrai o consumidor mais jovem para a marca. "É um produto que ele pode usar para trabalhar. Tira um pouco o estigma do homem mais velho, dos Estados Unidos, que usa a moto só para pegar estrada", diz.
Para a alemã BMW, 2010 pode ser considerado um 'divisor de águas" no setor de motocicletas no Brasil. As vendas do segmento duas rodas da empresa devem crescer de 1,5 mil unidades em 2009 para 3,5 mil este ano - um salto de 133%. A Harley diz que suas vendas cresceram 30% entre janeiro e junho, em relação ao mesmo período de 2009. Em ambos os casos, a expansão está relacionada ao início da montagem local das motocicletas.
O movimento mais recente foi o da BMW, que iniciou a montagem local da G650GS em dezembro do ano passado, em Manaus, numa parceria com a Dafra. A operação é pequena: a montagem dos kits de peças, que são importados da Alemanha, é feita por uma equipe de nove pessoas.
Além da linha de montagem local, a valorização do real ante o dólar ajudou a empresa a concorrer com marcas tradicionais no mercado brasileiro de motos, como Honda e Yamaha, diz o diretor-presidente da BMW Brasil, Jörg Henning Dornbusch. Esses dois fatores permitiram que o modelo de entrada da marca no País caísse dos originais R$ 40 mil para os atuais R$ 28 mil. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Fonte: Agência O Estado.
http://economia.ig.com.br/empresas/comercioservicos/bmw+e+harley+davidson+apostam+em+moto+mais+barata/n1237754463111.html

Imagem do dia (20/08/2010)





quarta-feira, 18 de agosto de 2010

tenere 250, 660 e 1200 na Duas Rodas





Família Ténéré invade o Brasil
..............................................
Pouco antes de terminarmos esta edição da revista tivemos uma
reviravolta, causada por nada menos que um singelo post publicado no
fórum Fazeronline.com. O usuário “Rogério 101010” afirmava que a
Yamaha tem pronta uma nova trail 250, mais “parruda” que a atual
Lander e parecida com a Ténéré. A notícia não tinha identificação da
fonte ou qualquer explicação sobre sua origem, mas despertou uma
investigação pela equipe da revista porque se encaixava com perfeição
no que escutamos de alguns concessionários no mês anterior, quando
apurávamos a vinda da nova FZ8 para o Brasil. 
Toda nossa equipe partiu
para averiguar a veracidade das informações que chegavam, às vezes um
tanto desencontradas, principalmente de concessionárias e fornecedores
da Yamaha. E aos poucos as afirmações começaram a se repetir entre
nossas fontes, formando um cenário bastante convincente.. Após a
renovação visual da Fazer 250, lançada um ano antes da Lander e que
manteve o conjunto mecânico da versão anterior, é mesmo de se esperar
que esteja para vir uma nova Lander 250. Natural também que a nova
moto seja mais “parruda” para competir com a Honda XRE 300 e que o
design, assim como a Fazer inspirada na “irmã” maior XJ6, venha da
Ténéré. Talvez você esteja se perguntando que benefício teria a nova
250 em se parecer com a Ténéré, se o brasileiro ainda não a conhece ou
se ele pode desejar uma quando vê-la na rua? Nós também nos
perguntamos, e talvez aqui esteja a grande notícia: Assim como a XJ6
foi lançada em Fevereiro compondo uma “família” naked de identidade
visual comum, incluindo a nova Fazer, a Yamaha está para lançar uma
“família” Ténéré com mais de uma cilindrada. Que a XT660Z Ténéré será
lançada no Brasil, não há dúvida – foi flagrada por nosso fotógrafo em
testes próxima da fábrica de Guarulhos, na Grande São Paulo, como
publicamos ano passado.

A novidade é que, segundo um concessionário da região Centro-Oeste, a
nova 250 seria lançada até Outubro com a bicilíndrica XT 1200Z Super
Ténéré. Não conseguimos uma confirmação da data de lançamento da 660,
o que pode indicar que ficará para depois. Por isso, nossa projeção da
nova 250 aposta no design derivado da 1200, principalmente na
dianteira com dois faróis, apesar da estrutura da 250 ter mais em
comum com a 660 (medidas, desenho do quadro e motor de um cilindro ).
Como ficam Lander e XT 660? No exterior, onde a Ténéré 660 já é
vendida, a XT 660 permanece em linha com uma diferença de preço
inferior a 10%. Significa que, numa aposta ousada da Yamaha, a família
Ténéré seria posicionada acima das XT existentes, que poderiam não ser
descontinuadas. No topo da linha estaria a XT 1220Z Super Ténéré entre
R$ 50 e 60 mil, seguida da XT 660Z Ténéré por R$ 29 mil, a XT 660R por
R$ 27 mil, a XT 250Z Ténéré por R$ 13 mil e a XTZ 250 Lander por R$ 12
mil. Embora a política da marca tenda a manter as duas famílias, a
permanência da linha XT ainda não é certa, em especial no caso da
Lander.

Brilho ofuscado. O que podemos afirmar categoricamente é que a Yamaha
prepara, sim, uma nova família de motocicletas, que se chamaria
Ténéré. O nome Ténéré é forte, tem seguidores fiéis ao redor do mundo
e no Brasil. Nota-se que alguns produtos Yamaha em produção, como a
Lander, perderam força com o passar dos anos. A concorrência se
modernizou e, sem rodeios, nem meias palavras, a chegada da Honda XRE
300 ofuscou o brilho da Lander. As últimas análises do setor apontam
vendas mensais de 12.677 unidades da XRE contra apenas 3.187 da Lander
(mais 1.274 unidades da supermotard XTZ 250X ). A Yamaha reagirá com
pelo menos quatro fortes lançamentos até o final do ano. Na categoria
250, a nova moto on/off-road, que por enquanto chamaremos de Ténéré
250, fará concorrência à XRE da Honda.
A esta altura a marca já fez todos os estudos de viabilidade técnica e
clínicas de design, quando consumidores são convidados a opinar sobre
o novo produto em sessões privadas. Nossa equipe confirmou detalhes da
moto como o desenho mais encorpado que o da Lander, com a carenagem
frontal independente do movimento do guidão, generosos apêndices
laterais presos ao tanque, pára-brisa e assento em dois níveis. Este
design forte e chamativo nos leva a duas outras avaliações. Talvez a
Super Ténéré 1200 venha antes, já no próximo mês, para elevar a
expectativa do consumidor com um produto altamente tecnológico. Mas a
Super Ténéré será para poucos, e criada esta expectativa a Yamaha
lançaria em seguida a versão mais acessível, com 250cc, e desenho que
segue as linhas da sonhada 1200. Se bem posicionada em preço, a Ténéré
250 poderia conviver em harmonia com a Lander, ou seja, a Ténéré 250
empataria em preço com Honda XRE 300, enquanto a Lander permaneceria a
porta de entrada na categoria.

Fonte: Revista Duas Rodas - Nº 419 - Agosto 2010